Ambiente, história, património, opinião, contos, pesca e humor

31
Mar 20

Até meados do século XIX a comunidade rural de Gonti­nhães não mostrava qualquer interesse pelos terrenos litorais, não agrícolas, desabrigados e frequente­mente invadidos pelo mar durante os temporais. Devido à crescente ac­tividade da praia de banhos e ao fluxo comercial gerado pela comunidade piscatória, a propriedade baldia no litoral passou também a ser disputada pelos proprietários rurais, comerciantes e burgueses, que queriam construir comércios ou habitações frente ao mar.

8 - Baluarte norte do Forte da Lagarteira.jpg

A construção da Estrada Real nº 4 (Viana-Valença) em 1858 e a linha do caminho-de-ferro em 1878, deram um forte incremento ao desenvolvi­mento de Gontinhães, que se estendeu ao longo destas duas vias paralelas. Porém, a comunidade piscatória também ficou mais isolada e separada fisi­camente da comunidade rural.

A comunidade piscatória competiu com a praia de banhos durante décadas pela ocupação do areal, mas face à crescente importância desta actividade e ao reduzido poder económico dos pescadores, não lhes sobrou outra alternativa do que alargar a sua área de residência para norte ou in­troduzir melhoramentos e ampliações nas habitações existentes, designada­mente para alojar as novas gerações.

No final do século XIX, o Lugar da Lagarteira está densamente povoa­do, não só pela fixação da comunidade piscatória, mas também pela fixação de algumas famílias da comunidade rural, ex-emigrantes bem sucedidos e in­divíduos vindos do exterior, que construíram habitação, comércios e serviços.

Se até 1840 os residentes na Lagarteira eram 9% da população total de Gontinhães, em 1924 já re­presentavam mais de 36%, o que atesta a crescente importância des­te lugar outrora desabitado (Rego, 2012).

“Perto de Âncora fica a povoação de Gontinhães, de pescadores e de pedreiros, os pescadores ao pé do mar, os outros lá em cima no Calvá­rio, unidos pelo caminho da Lagarteira, torto e lajeado.” (Brandão, 1989).

 

Gradualmente, o centro nevrálgico da freguesia, situado à volta da Igreja Matriz vai-se deslocar para o litoral. Esta concentração na orla maríti­ma está na causa directa da demolição da pequena ermida da Senhora das Necessidades, construída pelo Abade Gonçalo Pinto Medeiros de Carvalho, entre 1760 e 1765, conforme se justificava a urgência pela voz da imprensa,

“…edificação de uma nova igreja, porque a localidade é muito populosa, e à qual, nas épocas balneares, afluem milhares de pessoas, há apenas uma capela que comporta, quando muito 50 pessoas” (Jornal da Manhã, Porto – nº 222, 13 de Agosto de 1876)

A construção da nova e ampla capela da Senhora das Necessidades, teve início em 1889, após doação de 200m2 de terreno, por Manuel Fernan­des de Mendonça; mais tarde, a designação desta capela foi alterada para Senhora da Bonança e o Largo das Necessidades, com a queda da monar­quia, para Praça da República.

20799876_aJevL.jpeg

A revista “Ilustração Portugueza”, em  Outubro de 1922, dedicou uma página à Praia de Âncora, com referências ao seu património histórico e ao ambiente pitoresco que anima o portinho junto ao Forte da Lagarteira:

“Âncora é uma das mais lindas povoações do Minho, e pode considerar-se privilegiada da Natureza, pois que ao encanto da sua praia alia a beleza dos seus campos, onde não se nota a aridez própria das proximidades do mar. Quando este é rude, no Inverno, a gente laboriosa da pitoresca es­tancia volta-se para a terra, que não lhe nega o sustento.

Muito frequentada no verão por banhistas, principalmente do norte, é para estes um espectáculo interessante o da venda do peixe na praia, quando, á tarde, os barcos voltam da sua faina, depois de levantadas as redes.

Âncora é também um logar de atração para os amadores de arqueologia, visto que no sítio existem dolmens e outras antiguidades prehistoricas já estudadas pelo notável arqueólogo Martins Sarmento, bem conhecido pela exploração completa que fez da citania de Briteiros, perto de Guimarães.”

publicado por Brito Ribeiro às 12:45

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.


Março 2020
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13

15
16
17
18
19
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30


subscrever feeds
Relógio
Visitantes
contador de visitas gratis
Hospedagem de Sites
O Tempo
miarroba.com
Buffering...
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO