Ambiente, história, património, opinião, contos, pesca e humor

20
Jun 13

Extracto do livro "Episódios da guerra Peninsular" de Rocha Martins, sobre a tentativa das tropas francesas, a 16 de Fevereiro de 1809, de entrarem em Portugal através do estuário do Rio Minho. Neste texto é referido um "paisano" chamado Manuel José Velho de Gontinhães. Seria um antepassado do Manuel Velho Esteves (Nelasso) um conhecido pescador Ancorense, falecido há poucos anos com uma respeitavel idade?

 

“Nas notícias oficiais para a Regência, contavam-se diversos incidentes. Na margem direita do Minho tinham aparecido algumas forças inimigas e na esquerda tropas de Bernardim Freire. Trezentos ou quatrocentos soldados de Soult tentaram desembarcar em Camarido com o fim de tomarem duas peças que ali se tinham colocado; foram repelidos caindo trinta e nove dos assaltantes em poder dos portugueses com dez galegos que os guiavam. Afundaram-se uns vinte e cinco barcos.

Em Cerveira também se tinha feito o ataque, metendo-se dezanove embarcações ao fundo. Os franceses prendiam galagos para os servirem. O governador daquela Vila, Gonçalo Coelho de Araujo, ordenara o disparo das peças e o tenente-coronel do 21, José Joaquim Champalimaud, que deveria ganha fama, afrontou a cavalaria francesa que pretendia atacar Valença.

O comandante da acção de Camarido obedecia a Thomières, que já estivera em Portugal quando da primeira invasão Os paisanos João Alves Salgueiro de Moledo e Manuel José Velho de Gontinhães aprisionaram alguns náufragos do Minho.”

publicado por Brito Ribeiro às 15:28
tags:

Junho 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
12
13
14
15

16
17
18
19
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


Relógio
Visitantes
contador de visitas gratis
Hospedagem de Sites
O Tempo
miarroba.com
Buffering...
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO