Ambiente, história, património, opinião, contos, pesca e humor

12
Nov 08

É uma embarcação tradicional dos pescadores da costa norte de Portugal, nomeadamente Caminha, Vila Praia de Âncora, Viana do Castelo, Esposende, Fão, Povoa de Varzim, Vila do Conde, Azurara e Matosinhos, usado até à década de cinquenta do século passado. Também teve alguma utilização mais para sul, até à Figueira da Foz.

 
Construídos nos estaleiros da costa Atlântica, a configuração do casco é de ascendência nórdica; barcos de quilha com proa bem lançada que contrasta com um cadastro recto, muito pouco inclinado. Estes aspectos integram uma estirpe na qual figuram a lancha da Bretanha, o terret da Grã-Bretanha, alguns modelos da Dinamarca e da Suécia, representados nas pinturas das igrejas de Fide e Kalmor.
 
Portinho da Praia de Âncora - 1915 - Barcos tipo Poveiro
A Póvoa de Varzim foi um dos locais que melhor e mais largo tempo conservou intactos os seus costumes; por isso foram estes os que mais se agarraram aos seus usos, nomeadamente pela prática da endogamia, regendo-se por leis e preceitos próprios, sob a orientação dos “homens de respeito”. Vivendo exclusivamente da pesca, estruturavam-se por classes dentro da profissão exercida sob a forma associativa.
 
Ora a tradicional frequência das colónias galegas (incluindo a autorização de casamento), a comprovada formação de certas colónias em Portugal, por pescadores emigrados da Galiza e das Astúrias, o uso comum das marcas de família são também iguais à dos pescadores escandinavos; o sistema de herança a favor do filho mais novo, como na Bretanha e na Dinamarca; os próprios dados antropológicos, formam um conjunto de indicadores, complementares dos próprios barcos, favoráveis à hipótese de estarmos perante os resultados de uma “invasão” pacífica de pescadores nórdicos, chegados ao noroeste da península através de uma escala natural, a Bretanha.
 
Entrada no Portinho - 1903 - Barco tipo Poveiro com cerca de 10 tripulantes
O que poderia ter acontecido na fase do repovoamento litoral e reorganização das pescas marítimas, que se seguem ao período das invasões normandas e sarracenas.
 
Apesar de ser um barco de boca aberta, as suas qualidades de robustez e navegabilidade conferiam-lhe apreciável segurança. Além dos remos, utilizava a força do vento, com um bastardo de tamanho invulgar o que obrigava ao emprego de um leme deveras alteado.
 
Vista do Portinho - 1915
Os diversos tipos de pesca originaram um escalonamento de modelos desta embarcação:
  • Lanchas de pesca do alto – pescada – 13,6 metros – 30 a 40 tripulantes
  • Bateis de pesca do alto e costeira – sardinha – 11 metros – 20 a 30 tripulantes
  • Catraias grandes do alto e costeira – 8 metros – 8 a 10 tripulantes
  • Catraias pequenas do alto e pesca à linha – 6 metros – 5 a 8 tripulantes
  • Caícos de pesca costeira – 3,6 metros – 2 a 4 tripulantes
 
A decoração dos barcos poveiros tinha por motivo central a invocação dos santos patronos; à proa e à popa as pinturas das siglas, símbolos religiosos, distintivos, figuras de objectos, aves, peixes, etc., que tinha como objectivo identificar a embarcação à distancia; a palamenta da embarcação bem como o aparelho e redes encontravam-se marcadas com a sigla de arrais proprietário da embarcação.
Um batél em primeiro plano - Ao fundo um barco patrulha da Marinha
 
Um agradecimento especial ao Sr. Domingos Verde (Pinga) por me ter facultado as informações contidas neste trabalho.
 
publicado por Brito Ribeiro às 10:37
tags:

Olá boa tarde.

Queria perguntar-lhe se por acaso tem aqueles dois postais de 1915 em papel. Isto porque preciso de encontrar as imagens deles mas em tamanho o maior possível e se eles existissem em papel, facilmente se podiam ampliar num scanner. Nem imagina o que já procurei por estes dois postais, pois imagens com barcos antigos em Âncora são muito poucos e raros.
Caso soubesse de algo, agradecia-lhe imenso a ajuda.

Um abraço,
A.Fangueiro
cachinare a 1 de Abril de 2012 às 14:32

Lamento informar que não possuo originais das fotos em questão, apenas ficheiros digitais obtidos por digitalização de uns postais antigos.
Abraço
Brito Ribeiro

Novembro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
13
14
15

16
17
19
20
21
22

23
25
26
27
28
29

30


Relógio
Visitantes
contador de visitas gratis
Hospedagem de Sites
O Tempo
miarroba.com
Buffering...
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO