Ambiente, história, património, opinião, contos, pesca e humor

30
Jan 08
Designação
Alminhas de Santo Isidoro
 
Localização
Viana do Castelo, Caminha, Moledo
 
Acesso
Antiga EN 13, Lugar de Stº Isidoro 
 
Protecção
Inexistente
 
Enquadramento
Rural, isolado, integração harmónica na orla costeira, em plataforma coberta com vegetação rasteira e acácias, estando o alçado posterior encaixado no afloramento granítico, talhado para o efeito, em face da estrada, asfaltada, que faz a ligação de Vila Praia de Âncora a Moledo.
 

Descrição
Planta longitudinal, rectangular, tendo alpendre rectangular adossado a N.. Volumes escalonados, com coberturas diferenciadas, em telhados de lajes pétreas de duas águas nas Alminhas e de uma no alpendre. Fachadas rebocadas e caiadas. Fachada principal virada a E..
As Alminhas com embasamento de cantaria e pilastras toscanas nos cunhais, encimadas por duplo friso e cornija bastante saliente, moldurada, e rematada por dupla voluta afrontada, sendo coroada por cruz latina, com remates das hastes flordelisado, sobre acrotério concheado, ao centro.
É rasgada por portal de arco abatido, marcado por três aduelas realçadas, a do centro correspondendo à pedra de fecho inscrita com a data 1878, assente em pilastras, sendo encimado por brasão inscrito com IHS e coração inflamado, envolto por elementos vegetalistas, duas chaves e encimado por mitra e pequeno ornato.
Interior rebocado e caiado, com pavimento lajeado e tendo tecto de duas águas, em pedra, donde pende lamparina metálica. Na parede testeira mesa de altar pétrea, suportando maquineta, em talha polícroma a branco e dourada, envidraçada, de remate superior curvo, albergando painel de madeira em alto relevo e policromado, com a figuração de Santo Isidoro entre as Almas, sobre chamas.
Inferiormente possui inscrição, em duas regras: "Ó VÓS QUE IDES PASSANDO LEMBRAIVOS / DE NÓS QUE ESTAMOS PENANDO". Alpendre rasgado por amplo portal de verga recta sem moldura e fachada lateral e posterior cegas; interior com pavimento cimentado, tendo banco de cimento percorrendo a parede testeira e prateleira pétrea, a meia altura do alçado, à direita.
 

Utilização Inicial
Devocional: Alminhas
 
Utilização Actual
Devocional: Alminhas
 
Propriedade
Pública: municipal
 
 
Época Construção
Século XIX
 
Arquitecto | Construtor | Autor
Desconhecido.
 
Cronologia
1878 - Construção das alminhas por acção do benemérito António Manuel A. Casal da Cruz; séc. 20 - provável construção do alpendre.
 
Tipologia
Arquitectura religiosa devocional, neoclássica. Alminhas de planta longitudinal com cobertura de duas águas em lajes pétreas.
Fachada principal definida por pilastras que suportam frontão de volutas que a rematam, com portal de arco abatido, sobre pilastras, com pedra de fecho saliente e inscrita, sendo encimado por brasão episcopal. No interior, ostenta maquineta em talha policroma e dourada com painel das Almas.
 

Características Particulares
Alminhas de grandes dimensões, com fachada principal reproduzindo o modelo da fachada da Igreja Paroquial de Moledo.
No interior, o painel das Almas integra Santo Isidoro, figura pouco comum neste tipo de representação; à direita, o paramento apresenta o orifício para encaixe de caixa de esmolas, já inexistente.
 
Materiais
Estrutura em cantaria, com paramentos rebocados e pintados; cobertura em lajes de granito; mesa de altar em granito; maquineta de madeira envidraçada; pavimento lajeado e cimentado; porta de ferro; lamparina metálica.
 
 
publicado por Brito Ribeiro às 19:27

Janeiro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
15
18
19

21
22
23
24
26

27
28
31


Relógio
Visitantes
contador de visitas gratis
Hospedagem de Sites
O Tempo
miarroba.com
Buffering...
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO