Ambiente, história, património, opinião, contos, pesca e humor

06
Dez 07
Até 31 de Outubro do corrente ano morreram 22 pessoas nas estradas do Distrito de Viana do Castelo. Esta informação foi dada pelo Sr. Governador Civil, Prof. Pita Guerreiro que atribui à falta de responsabilidade dos condutores a causa mais importante da sinistralidade automóvel.
O desrespeito pelas regras de trânsito estão na razão directa do aumento do número de acidentes, reconheceu o Governador Civil, no Dia Mundial em Memória das Vítimas na Estrada, que passará a ser comemorado no terceiro domingo de Novembro, por decisão da Assembleia Geral das Nações Unidas.
Sem pôr minimamente em causa as conclusões do Sr. Governador, parece-me que foram omitidos factores de risco importantes, como o traçado e o estado de conservação das estradas.
E sobre essa matéria apenas vou referir a EN-13 entre Viana do Castelo e Valença, uma das estradas portuguesas com maior movimento, a par da Nacional um ou da Nacional cento e vinte e cinco, que há muitos anos necessita de obras de requalificação, sempre adiadas com a aplicação de uns remendos sobre os buracos que vão aparecendo.
Arrisco-me a dizer que há troços desta estrada que já tem mais remendos que piso original. Será que isso não tem influência nas condições de segurança, nomeadamente quando o piso está molhado?
Julgo que sim, mas admito que não sou técnico qualificado na área para fazer afirmações categóricas. Como condutor e utente diário da EN-13, não me sinto nada seguro enquanto finto os buracos, lombas e ressaltos que, metro a metro, povoam esta via, mesmo que cumpra as regras mais elementares do Código da Estrada, respeitantes às velocidades máximas e às condicionantes de ultrapassagens.
Será que alguém pode afirmar, no seu juízo perfeito, que a travessia da ponte de Caminha ou o atravessamento da Freguesia de Seixas se pode fazer nas melhores condições de segurança? Já nem falo do conforto…
Será que o atravessamento das Freguesias de Gondarem, V. N. de Cerveira e Campos é feito por uma estrada nacional de um país da União Europeia ou por uma “picada” africana, onde é obrigatório fazer gincana entre os buracos e as obras eternas que enchem as valetas.
O Sr. Governador Civil que é uma pessoa sensata e responsável, utilizador diário da EN-13, deve usar toda a sua influência para resolver (entre outros) este problema de acessibilidade Distrital, já que não vejo as Câmaras Municipais, nomeadamente a de Caminha, a considerarem a requalificação desta importante estrada como uma prioridade para o desenvolvimento, para a segurança e qualidade de vida dos cidadãos.
Não basta dizer que há falta de responsabilidade dos condutores (o que até é verdade), é preciso assumir que também há falta de responsabilidade do Estado e isso, lamentavelmente, o Sr. Governador não referiu.
                                                                                
publicado por Brito Ribeiro às 11:47
tags:

Dezembro 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
15

17
18
20
21
22

23
24
25
26
28
29

30
31


Relógio
Visitantes
Contador de visita
Contador de visita
Quantos somos
O Tempo
miarroba.com
Buffering...
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO