Ambiente, história, património, opinião, contos, pesca e humor

26
Set 07
 
Designação
Capela de Santa Luzia
 
Localização
Viana do Castelo, Caminha, Âncora, Lugar de Santa Luzia
   
Protecção
Não definido
 

Enquadramento
Rural, isolado, integração harmónica com pequeno adro, delimitado, a S., por muro em alvenaria de granito e calcetado com cubo granítico, rasgado por escada de três degraus, sendo pontuado por oliveiras, em posição ligeiramente sobrelevada ao arruamento principal do aglomerado.
No adro ergue-se cruzeiro com soco constituído por dois degraus de planta quadrangular, sobre o qual assenta um pedestal paralelepipédico, composto por plinto e dado monolítico, sendo rematado por cornija saliente.
O fuste, alto, monolítico, de secção circular, é encimado por capitel esférico envolto, inferiormente, por motivo canelado, sustentando cruz latina de secção quadrangular, de arestas chanfradas, apresentando faces gravadas com cruz com terminais flordelisados. O dado apresenta inscrito na face frontal a data 1671 e na face direita a inscrição em três regras; R(estaurado) / EM / 1926.
 

Descrição
Planta longitudinal, composta por nave única e capela-mor, rectangular, mais baixa e estreita, com sacristia, rectangular, adossada a N. Volumes escalonadas, com coberturas diferenciadas, em telhados de duas águas. Fachadas, rebocadas e caiadas, percorridas por embasamento pintado a cinzento.
Fachada principal, orientada a O., rematada em empena de cornija saliente, com embasamento de cantaria e pilastras nos cunhais, sobrepujadas por pináculos piramidais e cruz sobre acrotério, ao centro. É rasgada por portal de verga recta, com cornija saliente, encimado por cartela recortada e janela de modelação idêntica ao portal, e ladeado por duas janelas rectangulares.
Fachada O. da sacristia rasgada por portal de verga recta. Fachada S. com janela rectangular, na capela-mor e, sobre a cornija, sineira de ventana única, em empena com cornija saliente, de ventana em arco pleno sobre pilastras, molduradas, com sineta de metal. Fachada E. com janelo rectangular na sacristia e, no remate da empena, cruz sobre acrotério e fachada N. cega.
Interior rebocado e caiado, com silhar de azulejos, de estampilha azul, amarela e branca, com pavimento em mosaico cerâmico e tecto, estucado, tipo masseira. Coro-alto assente em viga de betão, tendo balaustrada de madeira. No sub-coro pia de água benta gomada, do lado da Epístola, e escada de acesso ao coro-alto, do lado do Evangelho.
Neste mesmo lado da nave, possui púlpito, pintado de branco, de base rectangular sobre mísula subcircular com remate inferior estriado, e balcão em madeira; confrontantes, vãos rasgados nas paredes, de remate em arco pleno, assentes em pilastras e ornados na pedra de fecho, no lado da Epístola, com flor-de-lis relevada, e, do lado do Evangelho, com as Chaves do Reino, albergando imagens, em madeira. Arco triunfal, pleno, assente sobre pilastras, ladeado por imagens, sobre mísula.
Capela-mor com pavimento em taco de madeira e tecto, estucado, tipo masseira, porta de vão rectangular de acesso à sacristia, do lado do Evangelho. Retábulo-mor em talha dourada e policroma, de planta rectangular, com edícula central. Envolve o retábulo, estrutura apainelada pintad de vermelho.
Mesa de altar, em talha dourada, branca e azul. Sacristia rebocada e caiada, com pavimento em mosaico cerâmico e tecto estucado.
   

Utilização Inicial
Cultual: Capela
 
Utilização Actual
Cultual: Capela
 
Propriedade
Privada: Igreja Católica
   
Época Construção
Séc. 17 / 18 / 19 ( conjectural ) / 20
 
Arquitecto | Construtor | Autor
Desconhecido.
 
Cronologia
1671 - data inscrita no cruzeiro, indicando, provavelmente o ano de construção;
1764 - teve uma irmandade de clérigos leigos de São Pedro "ad vincula" que, naquela data, se encontrava em decadência e que tinha o encargo de zelar pelo altar de São Pedro, imagem posteriormente transferida para a Igreja Paroquial;
1765 - data inscrita no retábulo-mor;
1772 - o Visitador manda proceder a reparações na sacristia;
Século XIX - provável remodelação da capela;
1926 - data inscrita no cruzeiro, indicando data do seu restauro.
 

Tipologia
Arquitectura religiosa, vernácula barroca. Capela de planta longitudinal composta, com capela-mor mais baixa e estreita, com sacristia rectangular adossada a N., de fachada principal, em empena de cornija, com vãos em eixo, composto por portal de verga recta e janela, ladeado por duas janelas rectangulares.
Interior com tectos de estuque de três panos, duas capelas laterais na nave e retábulo-mor em talha dourada e policroma, barroco.
 
Características Particulares
Capela vernacular muito modificada no século XIX, conforme denotam as modinaturas dos vãos da fachada principal, e adulterado no século XX.
O retábulo-mor, recortado em algumas zonas, de estilo barroco joanino, e o frontal de altar, de diferente modinatura, é neoclássico.
   
Intervenção Realizada
Comissão Fabriqueira: 1982 - restauro do retábulo; 1991 - reparação da porta; 1996 - reparação das coberturas; 1998 - reparação dos paramentos.
 
 
publicado por Brito Ribeiro às 19:52

Setembro 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
15

16
17
18
19
20
21

23
24
27
28
29

30


Relógio
Visitantes
contador de visitas gratis
Hospedagem de Sites
O Tempo
miarroba.com
Buffering...
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO