Ambiente, história, património, opinião, contos, pesca e humor

05
Set 07
Em muitas das nossas cidades e vilas, direi mesmo em largas dezenas de cidades e vilas existem ruas denominadas Cândido dos Reis e/ou Miguel Bombarda. Vila Praia de Âncora não é excepção e até possui ambas, embora me pareça que a maioria esmagadora da população não tem a mais pequena ideia da vida e obra destes ilustres portugueses.
Há tantos que nem sequer sabem quem é o D. Afonso Henriques, quanto mais os senhores Cândido dos Reis e Miguel Bombarda. As informações disponíveis também não são muitas, contrariamente ao que pensava e senti algumas dificuldades em reunir algum material relevante sobre estas personalidades.
 
Comecemos por Cândido dos Reis que nasceu em Lisboa a16 de Janeiro de 1852 e que iniciou a sua carreira na Armada como voluntário aos dezassete anos, sendo sucessivamente promovido até ao posto de vice-almirante, reformando-se em Julho de 1909.
Tendo sido agraciado com o grau de oficial da Ordem de Avis e a de Cavaleiro da Torre e Espada, foi desde muito novo adepto republicano de firmes convicções e participou activamente na luta antimonárquica. Era também um elemento próximo da Carbonária e da ideologia anticlerical.
Participou na revolta de 1908 que devia começar com a prisão de João Franco, então chefe do governo, mas esta intentona acabou por se malograr. Após um pequeno período de desânimo voltou à luta e rapidamente se transformou no organizador militar da revolta de Outubro de 1910.
 

No dia 3 de Outubro ao saber-se que o chefe do governo, Teixeira de Sousa tinha sido avisado do golpe republicano e pusera de prevenção as tropas leais à causa monárquica, a maioria dos chefes republicanos propuseram um adiamento do golpe, tendo a oposição do Almirante Cândido dos Reis, que impôs a sua vontade de avançar com a revolta.
Nos primeiros momentos da revolta, julgando-a perdida, não quis seguir para bordo de um dos navios que estava implicado no movimento, despediu-se dos oficiais da Marinha próximos e horas depois era encontrado morto na Azinhaga das Freiras.
Tinha-se suicidado, vítima do seu temperamento hipocondríaco que lhe proporcionava crises de entusiasmo e de depressão frequentes.
 
Efectivamente, no inicio a maioria das unidades militares comprometidas no movimento não chegaram a revoltar-se e muitos oficiais do exército, julgando tudo perdido haviam abandonado o entrincheiramento da Rotunda.
O golpe, afinal, acabou por triunfar e poucas horas depois José Relvas do alto da varanda da Câmara Municipal proclamava solenemente a República.
 
O nome do Almirante Carlos Cândido dos Reis foi utilizado não só para ruas e avenidas como também para substituir o nome de “D. Carlos I” no principal cruzador da esquadra portuguesa em homenagem à memória de tão prestigiado marinheiro.
Em Vila Praia de Âncora, a Rua Cândido dos Reis liga a praça da Republica à marginal da praia a Avenida Dr. Ramos Pereira e actualmente é uma artéria pedonal, atravessada pela linha do caminho de ferro.
 
 
 
 
 
 
publicado por Brito Ribeiro às 22:37
tags:

Setembro 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
15

16
17
18
19
20
21

23
24
27
28
29

30


Relógio
Visitantes
contador de visitas gratis
Hospedagem de Sites
O Tempo
miarroba.com
Buffering...
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO