Ambiente, história, património, opinião, contos, pesca e humor

15
Jun 09

Organizado pela Junta de Freguesia de Vilarelho, os passeios pedonais tendo como centro nevrálgico o Monte de Santo Antão, são já uma referência nas iniciativas deste género, que nos últimos anos se tem multiplicado (felizmente) um pouco por todo o lado.

Concentração matinal; os autocarros esperavam

 

Ontem, 14 de Junho, o dia nasceu sombrio, as nuvens baixas tapavam o céu e a ameaça de algumas pingas pairava no ar. Durante o dia verificamos que o S. Pedro acabou por ajudar, pois nem o calor apertou, nem a chuva passou de uma remota ameaça matinal.
Concentrados às oito e meia da manhã na urbanização da Selminho, depois de umas bolachas e o Vinho do Porto a fazer de “mata bicho”, todos foram acomodados nos autocarros até Santa Luzia onde, quiçá pombos correios, fomos largados em direcção a casa, melhor ao Monte de Santo Antão, termo deste exigente passeio pedonal.
Jardins de Santa Luzia
 
A coluna estende-se
 
Os grupos formam-se
 
 
Tambem fui apanhado pela objectiva atenta do Abílio
 
Como é habitual, cada um adoptou o seu ritmo de marcha e a coluna com cento e trinta participantes logo se alongou para de seguida se fraccionar em diversos grupos.
Panorâmica de Vana da Foz do Lima
 
Estes vem nas calmas
 
As paisagens sucediam-se deslumbrantes apesar do tempo enevoado, os caminhos mais ou menos degradados, mais ou menos tapados de infestantes eram alvo dos mais variados comentários dos caminheiros que aproveitavam para pôr a conversa em dia em ambiente de franca camaradagem, mesmo entre pessoas que se tinham conhecido uma ou duas horas antes.
Primeiro abastecimento
 
Assim está a florestal de Santa Luzia
 
Uma das muitas quedas de água que apreciamos pelo caminho
 
No primeiro ponto de abastecimento, em pleno parque eólico de Afife, uma garrafa de água ou uma laranja refrescaram as gargantas mais sequiosas e continuou-se em direcção à Senhora da Cabeça onde seria servido o tardio pequeno almoço.
Abastecimento na Senhora da Cabeça com o Serafim a comandar as operações
 
Todos tratam do físico, uns por fora, outros por dentro
 
Logo de seguida as subidas de Riba D’Âncora faziam estragos e poucos devem ter sido os que as ultrapassaram sem porem os “bofes à boca”. Por esta altura já um grupo se tinha perdido e foi necessário reencaminhá-los para o percurso algo complexo, mas razoavelmente sinalizado.
O Rio Âncora foi atravessado na Alhada
 
Mais um caminho tapado pelas austrálias; reparem no pormenor do rail de protecção onde nem uma bicicleta passa
 
Em breve avistamos o Vale do Minho e os geradores eólicos do parque de Santo Antão estavam agora próximos.
Rio Minho e Galiza por fundo; do lado direito o Monte de Goios
 
Torres eólicas do Monte de Santo Antão
 
À nossa espera estava um farto merendeiro e muitas bebidas gostosamente consumidas por todos os que conseguiram resistir a cerca de trinta quilómetros de caminhada.
Merendeiro e convívio final
 
Parabéns à organização, em especial ao amigo Serafim Cubal, Presidente da Junta de Freguesia de Vilarelho por mais esta iniciativa.
publicado por Brito Ribeiro às 16:48
tags:

Junho 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
16
18
20

21
23
24
26
27

28
29
30


subscrever feeds
Relógio
Visitantes
contador de visitas gratis
Hospedagem de Sites
O Tempo
miarroba.com
Buffering...
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO